Associação “A Fraternidade que nos Une” – (ONG) é uma Associação, de cariz humanitário, sem fins lucrativos e de natureza privada.

A Associação “A Fraternidade que nos une” – Organização Não Governamental designada (ONG) é uma Associação, de cariz humanitário, sem fins lucrativos e de natureza privada.

 Tem por finalidade a sensibilização da sociedade portuguesa e outras comunidades para os problemas sócio humanitários e sanitários, bem como prestar assistência às populações e pessoas desfavorecidas da comunidade dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), particularmente de Cabo Verde, em Portugal e nos países de origem.

 Tem como objeto social: 

1.              “A Fraternidade que nos une” (ONG) propõe-se prestar assistência nas áreas de saúde, implementando projetos de forma faseada, contínua e sustentável, em autonomia ou parceria e em coordenação e cooperação com as Entidades Locais e Internacionais e com as demais envolvidas no planeamento e execução das respetivas Políticas Nacionais de Saúde.

 2.              “A Fraternidade que nos une” (ONG) pretende ter como áreas de intervenção as seguintes:

 3. Formação pré-graduada e pós-graduada; Realização de eventos científicos; Telemedicina e videoconferências: Investigação clínica; Informação, sensibilização, promoção e educação para a saúde; Cuidados primários de saúde; Cuidados secundários de Saúde; Serviços farmacêuticos.

 A “Fraternidade que nos une” (ONG) pretende iniciar brevemente um projeto de longo prazo em Cabo Verde denominado de “CabMed“.

 O projeto “CabMed” contempla as seguintes Áreas de intervenção:

1.              Formação e realização de eventos científicos – Participar na formação pré-graduada com disponibilização de docentes na Escola de Enfermagem, na Escola dos Serviços de Saúde e na Faculdade de Medicina, em regime temporário, por módulos e no formato de conferências e workshops; participar na formação pós-graduada com apoio em estágios e especialização localmente e em Portugal; realizar eventos científicos multidisciplinares e multitemáticos; implementar a telemedicina e videoconferências;

 2.              Investigação clínica – Implementar e colaborar na realização de ensaios clínicos e estudos estatísticos de prevalência de doenças não infeciosas com grande impacto a nível da saúde pública;

 3.              Informação, sensibilização, promoção e educação para a saúde – Promover campanhas de sensibilização na comunidade por agentes de saúde comunitária; criar jornais murais com mensagens simples para afixação em locais públicos; criar página ou coluna num jornal generalista e participar em programas televisivos e nas Rádios nacionais e comunitárias;

 4.              Cuidados primários de saúde – Realizar rastreios de saúde nas várias áreas; apoiar os Centros de Saúde com consultas médicas; implementar a Saúde Escolar, a Medicina de trabalho e a Medicina Desportiva; adquirir uma “Unidade Móvel de Saúde” para apoio dos Centros de Saúde, da Saúde Escolar e da Medicina de Trabalho;

 5.              Cuidados secundários hospitalares – Colaborar com as Unidades hospitalares na capacitação e nos recursos humanos e materiais em regime periódico e temporário; mobilizar médicos especialistas nacionais na diáspora e estrangeiros para missões curtas, para realização de consultas e cirurgias nos hospitais nacionais;

 6.              Serviços farmacêuticos – criar postos de distribuição de medicamentos (donativos da Indústria farmacêutica) gratuitamente.

 Não obstante alguns constrangimentos identificados em Cabo Verde no que concerne à saúde, é sobejamente reconhecido o empenho do Estado de Cabo Verde na concretização do seu Plano Estratégico para a Saúde, sendo de particular importância o contributo das parcerias bilaterais e multilaterais, nomeadamente, com o Banco Mundial, OMS, UNICEF, União Europeia, entre outras.

 Ao contar na sua base de quadros com profissionais de reconhecido mérito nacional e internacional, designadamente, médicos e enfermeiros com fortes ligações naturais, culturais e linguísticos a Cabo Verde, estamos convictos de que, a parceria com a nossa organização – Associação “A Fraternidade que nos une”, será bastante profícua primando pela diferença na positiva.

 Almejando um futuro próspero para Cabo Verde, com especial incidência no campo da saúde apresentamos este projeto a todos aqueles que gostam das causas humanitárias.

                                                                                                                                                          O Presidente da Direção,

António FM Cambim

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *